Visitar
Biblioteca Municipal (Palácio Rojão)

Construído na primeira metade do século XIX, em pleno centro histórico da localidade, para residência urbana da família Papança, este palácio, apesar de inacabado, foi uma edificação arrojada para a época. Inspirado no estilo romântico, denota alguns traços mouriscos na sua fachada.

A fachada é de grandes dimensões e contém algumas portas e dezenas de janelas que revelam a sua sumptuosidade. No seu interior encontram-se diversos espaços que, outrora, tiveram outros propósitos, mas que, após a requalificação do edifício para adaptação a Biblioteca Municipal mantêm as estruturas.

Desde logo, ao hall abobadado da entrada, segue-se uma colossal escadaria de acesso ao primeiro piso, revestida de gesso pintado e mármore trabalhado, e extraordinariamente iluminada pela principal das três claraboias do palácio. O rés-do-chão é composto por dezasseis compartimentos sem grande história, com exceção para a cisterna.

O primeiro piso, a área nobre da habitação, é formado por vinte e duas divisões. Dois longos corredores partem da escadaria, cada um recebendo iluminação da sua claraboia. O salão nobre, a sala dos frescos e a sala azul, devido à sua riqueza, viram parte significativa dos seus elementos serem preservados até aos dias de hoje. A sala azul, com o seu teto e paredes pintados dessa cor, é composta por imagens geométricas, aves e flores, e uma lareira de aquecimento. O salão nobre, que percorre o espaço de cinco sacadas da fachada e tem três arcos ao meio, tem a segunda lareira de aquecimento do palácio. A sala dos frescos, voltada para o jardim, é composta por várias pinturas a fresco – quarenta e quatro – que compõem as paredes, o teto e as portas.

Entre 1975 e 1988, os dezasseis quartos que aqui se encontravam foram adaptados a salas de aulas e gabinetes da escola secundária, até que em 2013 se procedeu à restruturação e inauguração deste espaço como Biblioteca Municipal, um espaço composto por cerca de trinta mil livros e uma exposição permanente dedicada às Artes e Ofícios Tradicionais de Reguengos de Monsaraz.

No exterior, é possível encontrar um belíssimo espaço amplo que se encontra distribuído por três jardins temáticos diferentes: o Jardim da Metáfora, o Jardim da Palavra e o Jardim do Silêncio. O fio condutor é um alfabeto que traduz letra a letra os elementos que integram o Concelho de Reguengos de Monsaraz, conduzindo o visitante numa viagem cultural.

O espaço convida à leitura, enquadrada pela variadíssima vegetação existente que repetidamente pontua o espaço, permitindo a criação de zonas de sol e sombra.​

Atividades

Exposição Permanente de Artes e Ofícios Tradicionais, Exposições temáticas, Ludoteca, Hemeroteca, Espaço Internet, Hora do Conto (quinzenalmente), palestras, conferências, teatro

Horário:

dias úteis: 10h00-12h30 | 14h00-19h00, sábados: 14h00-19h00

Contactos:

​Biblioteca Municipal de Reguengos de Monsaraz
Rua Conde de Monsaraz, 32
7200-283 Reguengos de Monsaraz

38.424802, ​-7.533474

Tel. (+351) 266 508 040